Oscar Wilde

Oscar_Wilde_Sarony                                                                     Oscar Fingal O’Flahertie Wills Wilde (16 de outubro de 1854 – 30 de novembro de 1900) foi um dramaturgo, romancista, poeta, escritor de contos e maçom irlandês. Conhecido por sua inteligência farpada, ele foi um dos dramaturgos mais bem sucedidos do final de Londres  vitoriana e uma das maiores celebridades do seu dia. Conhecido por seu comportamento ultrajante e sua produção literária, Wilde era uma personalidade iconoclasta. Suas peças incluem An Ideal Husband e The Importance of Being Earnest. Ele também foi o autor do romance, O retrato de Dorian Gray.

Como resultado de um famoso julgamento, ele sofreu uma queda dramática e foi preso após ser condenado por “indecência grosseira” – o termo para atos homossexuais na legislação britânica contemporânea.

Biografia

Wilde nasceu em uma família anglo-irlandesa, em 21 Westland Row, Dublin, filho de  Sir William Wilde e sua esposa, Lady Jane Francesca Elgee. Jane era uma escritora de sucesso e uma nacionalista irlandesa, também conhecida como “Speranza”, enquanto Sir William era o principal cirurgião de ouvido e oftalmologia da Irlanda e escreveu livros sobre arqueologia e folclore. Ele era um renomado filantropo, e seu dispensário para cuidar dos pobres da cidade, em Lincoln Place, nos fundos do Trinity College, em Dublin, foi o precursor do Hospital de Olhos e Ouvidos de Dublin, agora localizado na Adelaide Road.

        Em junho de 1855, a família mudou-se para a Merrion Square, em uma área residencial elegante. Aqui, Lady Wilde realizou um salão regular à tarde de sábado com convidados incluindo Sheridan le Fanu, Samuel Lever, George Petrie, Isaac Butt e Samuel Ferguson. Oscar foi educado em casa até a idade de nove anos. Ele frequentou a Portora Royal School em Enniskillen, Fermanagh de 1864 a 1871, passando os meses de verão com sua família na zona rural de Waterford, Wexford e na casa da família de Sir William em Mayo. Aqui os irmãos Wilde brincaram com o jovem George Moore.

           Depois de deixar Portora, Wilde estudou clássicos no Trinity College, em Dublin, de 1871 a 1874. Ele foi um excelente aluno e ganhou a Medalha de Ouro de Berkeley, o maior prêmio oferecido aos alunos de clássicos da Trinity. Ele recebeu uma bolsa de estudos para o Magdalen College, Oxford, onde continuou seus estudos de 1874 a 1878 e onde se tornou parte do movimento estético, que defendia a criação de uma arte da vida. Enquanto em Magdalen, ele ganhou o Newdigate Prize de 1878 por seu poema Ravenna, que ele leu em Encaenia; ele falhou, porém, em ganhar o Prêmio de Ensaio em Inglês do Chanceler para um ensaio que seria publicado postumamente como The Rise of Historical Criticism(1909). Em novembro de 1878, graduou-se com honras de primeira classe em moderações clássicas eliterae humaniores , ou “grandes”.

Casamento e família

        Depois de se formar em Magdalen, Wilde retornou a Dublin, onde conheceu e se apaixonou por Florence Balcombe. Ela, por sua vez, ficou noiva de Bram Stoker . Ao ouvir seu noivado, Wilde escreveu para ela afirmando sua intenção de deixar a Irlanda permanentemente. Ele saiu em 1878 e voltaria ao seu país natal apenas duas vezes, para breves visitas. Os próximos seis anos foram passados ​​em Londres , Paris e nos Estados Unidos , onde ele viajou para ministrar palestras. O endereço de Wilde no Censo Britânico de 1881 é dado como Tite Street, Londres. O chefe da família é listado como Frank Miles.

        Em Londres, ele conheceu Constance Lloyd, filha do rico conselheiro da rainha Horace Lloyd. Ela estava visitando Dublin em 1884, quando Oscar estava na cidade para dar palestras no Teatro Gaiety. Ele propôs a ela e eles se casaram em 29 de maio de 1884 em Paddington, Londres. O subsídio de Constance de £ 250 permitiu que os Wildes vivessem em relativo luxo. O casal teve dois filhos, Cyril Holland (1885) e Vyvyan Holland (1886). Após a queda de Oscar, Constance tomou o sobrenome Holanda para si e para os meninos. Ela morreu em 1898 após a cirurgia da coluna vertebral e foi enterrada no cemitério de Staglieno, em Gênova, Itália . Cyril foi morto na França na Primeira Guerra Mundial. Vyvyan sobreviveu à guerra e se tornou um autor e tradutor. Ele publicou suas memórias em 1954. O filho de Vyvyan, Merlin Holland, editou e publicou vários trabalhos sobre seu avô.

Esteticismo

         Enquanto no Magdalen College, Wilde tornou-se particularmente conhecido por seu papel nos movimentos estéticos e decadentes. Começou a usar o cabelo longo e abertamente desprezando os chamados esportes “masculinos”, e começou a decorar seus aposentos com penas de pavão, lírios, girassóis , porcelana azul e outros objetos de arte .

         Lendas persistem que seu comportamento lhe custou um banho no rio Cherwell, além de ter seus quartos (que ainda sobrevivem como alojamento estudantil em sua antiga faculdade) destruídos, mas o culto se espalhou em certos segmentos da sociedade de tal forma que atitudes definhando, “demasiado-demasiado” trajes e esteticismo geralmente se tornou uma pose reconhecida.

   O esteticismo em geral foi caricaturado na opereta de Gilbert e Sullivan , Patience (1881). Tal foi o sucesso de Patience em Nova York que Richard D’Oyly Carte convidou Wilde para a América para uma turnê de palestras. Isto foi devidamente organizado, Wilde chegando em 3 de janeiro de 1882, a bordo do SS Arizona. Dizem que Wilde disse a um funcionário da alfândega: “Não tenho nada a declarar exceto meu gênio”, embora não haja evidência contemporânea para a observação. D’Oyly Carte usou a turnê de palestras de Wilde para preparar para uma turnê americana de Paciência, certificando-se de que o público comprador de bilhetes estivesse ciente de sua personalidade.

          Wilde ficou profundamente impressionado com os escritores ingleses John Ruskin e Walter Pater, que defendiam a importância central da arte na vida. Mais tarde, ele comentou ironicamente sobre essa visão quando escreveu, em O retrato de Dorian Gray: “Toda arte é completamente inútil”. Wilde foi associado à frase ” Arte pela arte” , embora não apareça em nenhum lugar de seus escritos: foi cunhado pelo filósofo Victor Cousin , promovido por Theophile Gautier e trazido à tona por James McNeill Whistler.

         O movimento estético, representado pela escola de William Morris e Dante Gabriel Rossetti , teve uma influência permanente na arte decorativa inglesa. Como o principal esteta na Grã-Bretanha, Wilde tornou-se uma das personalidades mais proeminentes de sua época. Embora às vezes ele fosse ridicularizado por eles, seus paradoxos e provérbios espirituosos eram citados por todos os lados.

         Em 1879, Wilde começou a ensinar valores estéticos em Londres . Em 1882, ele fez uma turnê de palestras nos Estados Unidos e no Canadá . Ele foi atacado por um número não pequeno de críticos – The Wasp, um jornal de São Francisco, publicou um desenho ridicularizando Wilde e o esteticismo – mas também foi surpreendentemente bem recebido em ambientes tão violentos quanto a cidade de Leadville, Colorado. Em seu retorno ao Reino Unido , ele trabalhou como revisor para o Pall Mall Gazette nos anos 1887-1889. Depois disso, ele se tornou o editor do Woman’s World. Politicamente, Wilde endossou uma marca anarquista de socialismo , expondo suas crenças no texto “A alma do homem sob o socialismo”.

Obras literárias

          Em 1881 ele publicou uma seleção de seus poemas, mas estes atraíram a admiração em apenas um círculo limitado. Seu conto de fadas mais famoso, O Príncipe Feliz e Outros Contos, apareceu em 1888, ilustrado por Walter Crane e Jacob Hood. Este volume foi seguido por uma segunda coleção de contos de fadas, A House of Pomegranates (1892), que o autor disse que “não era destinado nem para a criança britânica nem para o público britânico”.2005020203_dorian_gray-1

         Seu único romance, O Retrato de Dorian Gray, foi publicado em 1891. Os críticos frequentemente alegaram que existiam paralelos entre a vida de Wilde e a do protagonista do livro, e isso foi usado como prova contra ele em seu julgamento. Wilde contribuiu com alguns artigos para as revisões de arte e, em 1891, republicou quatro deles como um livro chamado Intenções, sobre o qual repousa sua reputação como crítico.

        Sua fama como dramaturgo começou com a produção de Fan de Lady Windermere em fevereiro de 1892. Isso foi escrito a pedido de George Alexander, ator-gerente do St James’s Theatre em Londres. Wilde descreveu-o como “uma daquelas modernas peças de sala de estar com abajures cor-de-rosa”. Foi imediatamente bem sucedido, o autor fazendo a enorme soma de 7.000 libras da corrida original. Ele usava um cravo verde na noite de abertura. Em 1894, o romance de Robert Hichens, The Green Carnation, baseado na relação entre Wilde e Lord Alfred Douglas, foi publicado. Seria um dos textos usados ​​contra Wilde durante seus testes no ano seguinte.

          Menos bem sucedida em 1892 foi a peça Salomé, que foi recusada uma licença para a performance inglesa pelo Lord Chamberlain porque continha caracteres bíblicos. Wilde ficou furioso, mesmo pensando em mudar sua nacionalidade para se tornar um cidadão francês. A peça foi publicada em inglês, com ilustrações de Aubrey Beardsley, em 1894. Uma edição francesa havia aparecido no ano anterior.

    Sua próxima peça, uma sátira social e melodrama, foi Uma mulher sem importância, produzida em 19 de abril de 1893 no Haymarket Theater, em Londres, por Herbert Beerbohm Tree. Repetiu o sucesso do Fã de Lady Windermere, consolidando a reputação de Wilde como o melhor escritor de “comédia de costumes” desde Richard Brinsley Sheridan.

       Uma nota um pouco mais séria foi novamente tocada com An Ideal Husband, produzido por Lewis Waller no Haymarket Theatre em 3 de janeiro de 1895. Este contém um melodrama político – em oposição ao melodrama conjugal das comédias anteriores – ao lado dos habituais epigramas de Wildean. , comentário social, comédia e romance . A resenha de George Bernard Shaw dizia que “… o sr. Wilde é para mim nosso único dramaturgo sério. Ele brinca com tudo: com inteligência, com filosofia, com drama, com atores, com público, com todo o teatro …”.

         Apenas um mês depois, sua obra-prima, A importância de ser sincero, apareceu no St James’s Theatre. Isso causou uma sensação. Anos mais tarde, o ator Allen Aynesworth (interpretando ‘Algy’ em oposição a ‘Jack’ de George Alexander) disse ao biógrafo de Wilde Hesketh Pearson que, “Nos meus cinquenta e três anos de atuação, nunca me lembro de um triunfo maior do que a primeira noite de A importância de ser sincero. “

      Ao contrário das três comédias anteriores, Earnest está livre de qualquer melodrama; trouxe ironia, sátira e sagacidade verbal ao drama inglês . No entanto, segue um enredo invulgarmente inteligente, onde abundam os alter egos entre identidades falsas, identidades erradas e ligações românticas imaginativas. Essa “comédia de costumes” é um exemplo perfeito da teoria sobre arte de Wilde: “Mentir, contar coisas belas e falsas, é o objetivo próprio da arte”. Pelo menos duas versões da peça existem. Wilde originalmente escreveu em quatro atos, mas George Alexander propôs reduzi-lo a três para a produção original.

          Entre Um marido ideal e a importância de ser sincero , Wilde escreveu pelo menos o cenário para uma peça sobre um caso adúltero. Ele nunca desenvolveu devido ao caso de Queensberry e seu julgamento. Frank Harris eventualmente escreveu uma versão chamada Mr e Mrs Daventry.

         Foi sugerido que em 1894, Wilde escreveu outra peça pouco conhecida (na forma de uma pantomima) para um amigo dele, Chan Toon, que foi chamado Por Amor do Rei e também foi sob o nome de A Masque Birmanês. Nunca foi amplamente divulgado. Uma cópia, realizada na Biblioteca Fay e na Coleção Geoffrey Elliott da Biblioteca da Universidade de Leeds, está marcada: “Esta é uma obra espúria atribuída a Wilde sem autoridade por uma Sra. Chan Toon, que foi mandada para a prisão por roubar dinheiro de sua proprietária AJA Symons. “

Sexualidade de Wilde

           Wilde foi acusado de pederastia, mas o próprio Wilde sentiu que pertencia a uma cultura do amor masculino inspirada na tradição pederastica grega. Ao descrever sua própria identidade sexual, Wilde usou o termo socrático. Ele teve várias relações sexuais com parceiros do sexo masculino e numerosos encontros sexuais com jovens homens da classe trabalhadora, que costumavam ser pagos. Os biógrafos geralmente acreditam que Wilde foi introduzido à homossexualidade em 1885 (o ano após seu casamento) pelo jovem de 17 anos Robert Baldwin Ross. A biografia de Neil McKenna A vida secreta de Oscar Wilde (2003) teoriza que Wilde estava ciente de sua homossexualidade muito mais cedo, desde o primeiro beijo com outro garoto aos 16 anos. Segundo McKenna, depois de chegar a Oxford em 1874, Wilde explorou sua sexualidade, descobrindo que ele podia sentir amor romântico apaixonado por garotos de coro “justos e magros”, mas era mais sexualmente atraído para o rústico e jovem. No final da década de 1870, Wilde já estava preocupado com a filosofia do amor entre pessoas do mesmo sexo e havia feito amizade com um grupo de poetas uranianos (pederasticos) e reformadores da legislação homossexual, familiarizando-se com o trabalho pioneiro dos direitos LGBT Karl-Heinrich Ulrichs. Wilde também conheceu Walt Whitman na América, em 1882, escrevendo a um amigo que “não havia dúvida” sobre a orientação sexual do grande poeta americano – “Ainda tenho o beijo de Walt Whitman em meus lábios”, gabava-se. Ele até viveu com o pintor da sociedade Frank Miles, que era alguns anos mais velho que ele e pode ter sido seu amante. Entretanto, escreve McKenna, ele estava insatisfeito com a direção de seus desejos sexuais e românticos e, esperando que o casamento o curasse, ele se casou com Constance Lloyd em 1884. O relato de McKenna tem sido criticado por alguns críticos que o consideram especulativo demais.

     Independentemente de Wilde ainda ser ingênuo quando conheceu Ross, Ross desempenhou um papel importante no desenvolvimento da compreensão de Wilde de sua própria sexualidade. Ross estava ciente dos poemas de Wilde antes de se encontrarem e, de fato, foi espancado por lê-los. Ele também foi indiferente a proibição vitoriana contra a homossexualidade. Pelo relato de Richard Ellmann, Ross, “… tão jovem e ainda assim tão conhecedor, estava determinado a seduzir Wilde.” Mais tarde, Ross se gabou de lorde Alfred Douglas de que ele era “o primeiro menino que o Oscar já teve” e parece ter havido muito ciúme entre eles. Logo, Wilde entrou em um mundo de sexo regular com jovens como servos e jornaleiros, no meio da adolescência, a quem ele se encontrava em bares ou bordéis homossexuais. Nas palavras de Wilde, as relações eram semelhantes a “banquetear-se com panteras” e ele se divertia com o risco: “o perigo era metade da excitação”. Em seus escritos públicos, a primeira celebração de amor romântico de Wilde entre homens e meninos pode ser encontrada em The Portrait of Mr. WH.(1889), em que ele propõe uma teoria de que os sonetos de Shakespeare foram escritos a partir do amor do poeta ao ator elizabetano “Willie Hughes”.

         Depois de conhecer e se apaixonar por Lorde Alfred Douglas em 1891, Wilde e sua amante adotaram um estilo de vida orgiástico, e por alguns anos eles viveram juntos mais ou menos abertamente em vários lugares. Wilde e alguns dentro de seu grupo social de classe alta também começaram a falar sobre a reforma da lei homossexual, e seu compromisso com a “Causa” foi formalizado pela fundação de uma organização altamente secreta chamada Ordem de Chaeronea, da qual Wilde era membro. Um romance homossexual, Teleny ou O Reverso da Medalha, escrito mais ou menos na mesma época e publicado clandestinamente em 1893, foi atribuído a Oscar Wilde, mas provavelmente foi, na verdade, um esforço conjunto de vários amigos de Wilde.

O escândalo de Queensberry

         Em 1891, Wilde se tornou íntimo de Lord Alfred Douglas, apelidado de “Bosie”. O primeiro mentor de lorde Alfred fora seu avô cosmopolita e efeminado, Alfred Montgomery. Seu irmão mais velho, Francis Douglas, visconde Drumlanrig também teve uma associação com o primeiro-ministro Archibald Philip Primrose, 5º Conde de Rosebery, que terminou com a morte de Francisco, um possível suicídio. O pai de Lord Alfred, John Sholto Douglas, 9º Marquês de Queensberry, chegou a acreditar que seus filhos tinham sido corrompidos por homossexuais mais velhos, ou como ele disse em uma carta, “Snob Queers como Rosebery”. Como ele havia tentado fazer com Rosebery, Queensberry confrontou Wilde e Lord Alfred em várias ocasiões, mas toda vez Wilde foi capaz de acalmá-lo.

         No entanto, na noite de estreia de Queensberry, a Importância de Ser Fiel planejava insultar Wilde com a entrega de um buquê de legumes. Wilde foi avisado e Queensberry foi impedida de entrar no teatro. Em 18 de fevereiro de 1895, o marquês deixou um cartão de visitas em um dos clubes de Wilde, o Albemarle. No verso do cartão ele escreveu “Para Oscar Wilde posando como um Somdomite” (um erro de ortografia de “Sodomite”).

         Embora os amigos de Wilde o tenham aconselhado a ignorar o insulto, Lorde Alfred encorajou Wilde a acusar seu pai de difamação criminal.. Queensberry foi preso e, em abril de 1895, a Coroa assumiu a acusação contra o caso de difamação contra ele. O julgamento durou três dias. O advogado de acusação, Edward Clarke, não sabia das ligações anteriores de Wilde com outros homens. Clarke perguntou diretamente a Wilde se havia alguma substância nas acusações de Queensberry. Wilde negou que houvesse. No entanto, o advogado de Queensberry, Edward Carson, contratou investigadores que puderam localizar um número de jovens com quem Wilde estivera envolvido, social ou sexualmente, como Walter Grainger, de 16 anos, e outros jornaleiros e manobristas. O mais danoso de todos, entre eles, estavam vários jovens que ganharam dinheiro através da prostituição, incluindo uma das principais testemunhas, Charles Parker.

        Wilde se saiu bem no primeiro dia do julgamento, reprimindo o interrogatório de Carson sobre a moral de seus trabalhos publicados com humor e sarcasmo, que trouxe riso ao tribunal. Perguntado se ele já havia adorado algum homem mais jovem do que ele, Wilde respondeu: “Eu nunca adorei a ninguém além de mim mesmo”. No entanto, no segundo dia, o interrogatório de Carson foi muito mais prejudicial: Wilde admitiu mais tarde perjurar-se com algu

Julgamento e prisão em Reading Gaol

mas de suas respostas. No terceiro dia, Clarke recomendou que Wilde retirasse a acusação e o caso foi arquivado.

        As autoridades não estavam dispostas a deixar as questões. Com base nas evidências adquiridas por Queensberry e Carson, Wilde foi preso em 6 de abril de 1895 no Cadogan Hotel, Londres, e acusado de “cometer atos de indecência grosseira com outros homens” sob a Seção 11 do Ato de Emenda à Lei Criminal de 1885. Um evento mais tarde imortalizado pelo poeta laureado John Betjeman em um poema A prisão de Oscar Wilde no Hotel Cadogan. Apesar dos pedidos de amigos para fugir do país, Wilde decidiu ficar e se martirizar por sua causa. Clarke se ofereceu para defendê-lo.

          Wilde processou o pai de lorde Alfred Douglas, o nono marquês de Queensberry, por lhe enviar uma nota caluniosa. No entanto, foi Wilde quem foi forçado a agir defensivamente no julgamento porque a sodomia era um crime no final da Inglaterra vitoriana. Este primeiro julgamento levou a dois outros.

        Ele foi preso primeiro em Pentonville e depois na prisão de Wandsworth, em Londres , e finalmente transferido em novembro para a prisão de Reading, cerca de 48 quilômetros a oeste de Londres. Wilde conhecia a cidade de Reading de tempos mais felizes, quando passeava de barco no rio Tâmisa e também de visitas à família Palmer, incluindo um passeio pela famosa fábrica de biscoitos Huntley & Palmers, bem perto da prisão.

          Agora conhecido como prisioneiro C. 3.3, (que descreveu o fato de que ele estava no bloco C, terceiro andar, quarto três), ele não recebeu sequer papel e caneta para escrever, mas um governador posterior foi mais amigável. Durante seu tempo na prisão, Wilde escreveu uma carta de 50.000 palavras para Douglas, a qual ele não tinha permissão para enviar enquanto ainda era um prisioneiro, mas que ele foi autorizado a levar com ele ao final de sua sentença. Em sua libertação, ele entregou o manuscrito a Ross, que pode ou não ter executado as instruções de Wilde para enviar uma cópia a Douglas que, por sua vez, negou tê-la recebido. Ross publicou uma versão muito expurgada da carta (cerca de um terço dela) em 1905 (quatro anos após a morte de Wilde) com o título De Profundis, expandindo-a ligeiramente para uma edição das obras coletadas de Wilde em 1908 e doando-a ao Museu Britânico com o entendimento de que ela não seria divulgada até 1960. Em 1949, o filho de Wilde, Vyvyan Holland, publicou novamente, incluindo partes anteriormente omitidas, mas confiando em um datilografado defeituoso legado a ele por Ross. Sua publicação completa e correta não ocorreu até 1962, em As cartas de Oscar Wilde.

        Os manuscritos de A Tragédia Florentina e um ensaio sobre os sonetos de Shakespeare foram roubados da casa de Wilde em 1895. Em 1904, uma tragédia de cinco atos, A Duquesa de Pádua, escrita por Wilde por volta de 1883 para Mary Anderson, mas não publicada por ela, foi publicada. Em alemão ( Die Herzogin von Padua, traduzido por Max Meyerfeld) em Berlim.

Depois de sua liberação

            A prisão foi indelicada com a saúde de Wilde e, depois de ter sido libertado em 19 de maio de 1897, ele passou seus últimos três anos sem dinheiro, em exílio auto-imposto da sociedade e dos círculos artísticos. Ele assumiu o nome de Sebastian Melmoth, depois do famoso “penetrado” São Sebastião, que desde então se tornou um ícone gay, e o personagem central diabólico da novela gótica de seu tio-avô, Charles Robert Maturin, Melmoth the Wanderer. Após sua libertação, ele escreveu o famoso poema “The Ballad of Reading Gaol”.

        Wilde passou seus últimos dias em Paris no Hôtel d’Alsace, agora conhecido simplesmente como L’Hôtel. Apenas um mês antes de sua morte, ele é citado dizendo: “Meu papel de parede e eu estamos duelando até a morte. Um ou outro de nós tem que ir.”

          Wilde morreu de meningite cerebral em 30 de novembro de 1900. Diferentes opiniões são dadas sobre a causa da meningite; Richard Ellmann afirmou que era sifilítico; Merlin Holland, neto de Wilde, achou que isso era um equívoco, notando que a meningite de Wilde seguia uma intervenção cirúrgica, talvez uma mastoidectomia; Médicos de Wilde, Dr. Paul CLEISS e A’Court Tucker, informou que a condição resultou de um velho supuração da orelha direita e não fazem alusão a sífilis . A maioria dos estudiosos e médicos modernos concorda que a sífilis dificilmente teria sido a causa de sua morte.

          Em seu leito de morte, ele foi recebido na Igreja Católica Romana . No entanto, os biógrafos discordam sobre se sua conversão foi um ato de vontade, uma vez que ele podia não estar plenamente consciente na época. Testemunhas oculares, no entanto, todos afirmaram que ele estava consciente.

        tomb-1338730_960_720

        Wilde foi enterrado no Cemitério de Bagneux fora de Paris, mas depois foi transferido para o Cemitério Père Lachaise na cidade propriamente dita. Seu túmulo em Père Lachaise foi projetado pelo escultor Sir Jacob Epstein, a pedido de Robert Ross, que também pediu um pequeno compartimento para suas próprias cinzas. As cinzas de Ross foram transferidas para o túmulo em 1950. As marcas vermelhas no túmulo são marcas de batom deixadas pelos fãs apaixonados. 

Biografias

  • Após a morte de Wilde, seu amigo Frank Harris escreveu uma biografia, Oscar Wilde: His Life and Confessions . Seus outros amigos próximos, Robert Sherard, Robert Ross, Charles Ricketts e Lord Alfred Douglas publicaram várias biografias, reminiscências ou correspondências.
  • Um relato do argumento entre Frank Harris, Lorde Alfred Douglas e Oscar Wilde sobre a conveniência da acusação de Wilmore em Queensberry pode ser encontrado no prefácio da peça de George Bernard Shaw, A Dama Negra dos Sonetos.
  • Em 1946, Hesketh Pearson publicou A Vida de Oscar Wilde, contendo materiais derivados de conversas com Bernard Shaw, George Alexander, Árvore Herbert Beerbohm e muitos outros que conheceram ou trabalharam com Wilde. Esta é uma leitura animada, embora inevitavelmente um pouco datada em sua abordagem. Isso dá uma impressão particularmente vívida de como deve ter sido a conversa de Wilde.
  • Em 1954, Vyvyan Holland publicou sua autobiografia Son of Oscar Wilde. Foi revisado e atualizado por Merlin Holland em 1999.
  • Em 1975, H. Montgomery Hyde publicou Oscar Wilde: uma biografia.
  • Em 1983, Peter Ackroyd publicou O Último Testamento de Oscar Wilde, um romance na forma de um livro de memórias fingido.
  • Em 1987, o biógrafo literário Richard Ellmann publicou seu trabalho detalhado, Oscar Wilde.
  • Em 1997, Merlin Holland publicou um livro intitulado The Wilde Album. Este volume bastante pequeno continha muitas fotos e outras recordações de Wilde, muitas das quais nunca haviam sido publicadas. Inclui 27 fotos tiradas pelo retratista Napoleon Sarony, um dos quais está no começo deste artigo.
  • 1999 viu a publicação de Oscar Wilde no palco e na tela, escrito por Robert Tanitch. Este livro é um registro abrangente da vida e do trabalho de Wilde como apresentado no palco e na tela de 1880 a 1999. Ele inclui listas de elenco e snippets de resenhas.
  • Em 2000, Barbara Belford, professora da Columbia University, publicou a biografia, Oscar Wilde: A Certain Genius.
  • 2003 viu a publicação do primeiro relato completo da vida sexual e emocional de Wilde em A Vida Secreta de Oscar Wilde, de Neil McKenna (Century / Random House).
  • 2005 viu a publicação de The Unmasking of Oscar Wilde, pelo biógrafo literário Joseph Pearce. Ele explora a sensibilidade católica em sua arte, seu sofrimento interior e insatisfação, e sua fascinação ao longo da vida com a Igreja Católica, o que levou à sua conversão no leito de morte.

Bibliografia

Poesia

  • Ravena (1878)
  • Poemas (1881)
  • A Esfinge (1894)
  • A Balada da Leitura Gaol (1898)

Peças teatrais

  • Vera; Os niilistas (1880)
  • A Duquesa de Pádua (1883)
  • Salomé (versão francesa) (1893, pela primeira vez em Paris 1896)
  • Fã de Lady Windermere (1892)
  • Uma mulher sem importância (1893)
  • Salomé: Uma tragédia em um ato: Traduzido dos franceses de Oscar Wilde por Lord Alfred Douglas com ilustrações de Aubrey Beardsley (1894)
  • Um marido ideal (1895)
  • A importância de ser sincero (1895)
  • La Sainte Courtisane e A Tragédia Florentina Fragmentária. Publicado pela primeira vez em 1908 em Collected Works de Methuen

(Datas são datas de primeiro desempenho, que se aproximam melhor com a data provável de composição do que as datas de publicação.)

 

Prosa

  • O fantasma de Canterville (1887)
  • O Príncipe Feliz e Outras Histórias (1888)
  • Crime e outras histórias de Lord Arthur Savile (1891)
  • Intenções (1891)
  • O retrato de Dorian Gray (1891)
  • Uma casa de romãs (1891)
  • A alma do homem sob o socialismo (publicado pela primeira vez em Pall Mall Gazette , 1891, primeira publicação do livro de 1904)
  • De Profundis (1905)
  • As Cartas de Oscar Wilde (1960) Esta foi relançada em 2000, com cartas descobertas desde 1960, e novas notas de rodapé detalhadas por Merlin Holland.
  • Teleny ou O Reverso da Medalha (Paris, 1893) Wilde está envolvido em sua composição, mas não confirmado como seu autor.
Esta é uma tradução livre o original está disponível em:

Oscar Wilde (2019, 5 de janeiro). Enciclopédia do Novo Mundo ,. Retirado 21:29, 17 de março de 2019 de http://www.newworldencyclopedia.org/p/index.php?title=Oscar_Wilde&oldid=1016910 


Obras à venda no site da Amazon:

https://www.amazon.com.br/gp/search/ref=as_li_qf_sp_sr_il_tl?ie=UTF8&tag=vaniatavare09-20&keywords=oscar https://www.amazon.com.br/gp/product/8563560433/ref=as_li_qf_asin_il_tl?ie=UTF8&tag=vaniatavare09-20&creative=9325&linkCode=as2&creativeASIN=8563560433&linkId=7784bf52e2126ae2134dd51600b0e828

Publicado por Vania Tavares

Eu sou casada, formada em letras pela Universidade Estadual de Goiás. Apaixonada por livros e escrever.

Um comentário em “Oscar Wilde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: